Notícias

Ultramaratona Patagônia Run e 24 hs de Santa Maria
14/05/2012

Por Dirceu Tirado

No último dia 14/abril eu participei da “Patagonia Run“, em San Martin de Los Andes, na Argentina. A razão me fez preencher a inscrição nos 42KM, mas quando avistei aquelas paisagens maravilhosas, a emoção tomou conta de mim e imediatamente alterei a minha inscrição para 63 KM. Foi uma prova única, diferente de todas que eu já participei, muito bem organizada, e que eu completei em 10hs48min.
Formamos um grupo muito divertido (Dirceu, Sérgio, Kyoji, Margarete, Clemência), onde não faltaram visitas aos deliciosos Cafés, as Parriladas e Empanadas e à saborosa carne de Cervo (sem contar na tentativa culinária de preparação do famoso "macarrão com abobrinha" e da "salada de 12 frutas"; ainda bem que todos sobreviveram, rsrsrs...).

Voltando à prova, na reta final, quando entrei pela avenida principal, sendo incentivado e aplaudido pelos moradores e pelos corredores, a alegria e as lágrimas tomaram conta de mim por ter superado mais esse difícil desafio, por estar representando a Equipe Tavares e o meu querido Brasil.

Vinte dias depois (dia 04/maio) lá estava eu, sozinho, embarcando para Santa Maria – RS (que fica a uns 300 km de Porto Alegre) para participar da “5a. Ultra Maratona Internacional 24hs de Santa Maria”. Em 2011 eu tive que abandonar essa prova após 14hs e 17min, com fortes dores no joelho direito, consequências do uso de um tênis inadequado e da falta de fortalecimento muscular (lições aprendidas). Mas essa frustração me deu forças para voltar em 2012 e tentar completar esse desafio.

Reencontrei os grandes amigos(as) da região Sul e do meu Brasil que lá estiveram em 2011 (Antonio, Luis, João, André, Célio Parahyba, Jeanete, Sandra Grisi) e que muito me apoiaram. Compartilhamos o alojamento no famoso e já conhecido “Motel Kauã” (a suíte 15 tinha até espelho no teto e banheira de hidromassagem, um espetáculo, rsrs...). Esse é o alojamento mais próximo da corrida, mas as piadas, as fotos e as risadas compensaram a simplicidade do local.
Confesso que o mais difícil foi tomar o café de manhã: chegar na padaria e pedir "um pãozinho cacetinho" na manteiga e café com leite, sinceramente, é coisa de gaúcho (rsrsrs...)

A prova é realizada em uma avenida de 500m ida e 500m volta, totalizando 1km por volta. De 2 em 2 horas o sentido é invertido. A quilometragem mínima para termos direito ao troféu é de 75km para os homens e de 65km para as mulheres.
Essa prova não tem nenhum patrocínio e é realizada somente com a receita das inscrições pagas pelos 56 “insanos” participantes. Porém o organizador “Marcos Vinicius” acompanha e se preocupa com os mínimos detalhes para o bem estar e a satisfação de todos (desde a montagem da prova, a alimentação, a camiseta maravilhosa, os troféus, as medalhas, massagistas/socorristas, etc).
É a corrida que oferece a maior premiação de troféus no Brasil (em quantidade e tamanho). Chegamos a pedir para o organizador para diminuir o tamanho do troféu (esse ano tinha 80 cm de altura, mas já chegou a 108cm) para facilitar o nosso retorno para casa (principalmente no RX dos aeroportos e para acomodar dentro do avião).

Nesse ano tivemos a participação de um atleta deficiente visual que ao final das 24hs, nos disse que foi a prova mais bem organizada e que ele foi bem recebido que ele já tinha participado.
Tivemos também a participação do campeão brasileiro de 480km “José Cristiano de Oliveira” que veio de Cupira - PE (percorreu 120km por dia, consecutivos, não podendo andar e nem parar mais que 1 minuto para massagem). O seu recorde foi homologado em 04dias02hs30min (percurso entre as cidades de Natal - RN até Cupira - PE). Devido a sua dificuldade financeira, falta de patrocínio, e necessidade de reforço muscular ele treina arrastando um pneu (e agora ele aumentou para dois pneus). Veja foto.
Em Santa Maria ele largou na frente, mas sentiu na prova, e ao final foi buscar um honroso terceiro lugar na classificação geral.

A largada foi realizada no sábado (dia 05/maio) às 08hs, e em todos os corredores víamos somente sorrisos e alegrias. Após a primeira hora de prova eu me perguntei: “Só faltam 23hs, o que eu estou fazendo aqui ?” Imediatamente coloquei o meu psicológico em ação para não perder o controle da prova.
Na volta 58 eu tive uma contratura muscular na coxa direita, sai da pista, e fui para a massagem (foram 30 minutos). Quando voltei à corrida, sentia dores quando corria um pouco mais forte e nesse momento tive que mudar a minha estratégia e objetivos nessa prova. Comecei a alternar entre trotar forte (na descida) e andar forte (na subida) e assim consegui criar um novo ritmo de prova e continuar nesse desafio.
As 03hs da madrugada do domingo comecei a bater os dentes e tremer as mãos/braços de frio. Como a temperatura ambiente tinha caído muito, conclui que a minha temperatura corporal devia ter baixado, e desconfiei de uma hipotermia; imediatamente sai da pista e me abriguei na barraca dos meus amigos. Me agasalhei (gorro, luvas, meias, duas cobertas) e fiquei deitado sem conseguir dormir por duas horas (confesso que estava muito preocupado). As 5hs da manhã decidi voltar para a prova, mas não conseguia levantar, pois estava com a musculatura travada. Tive que fazer alongamento (por 20 minutos) dentro da barraca, para conseguir voltar à pista e finalizar a prova.

Não é uma prova fácil. Tivemos atletas desidratados (foram tomar soro), atletas que tiveram queda de pressão (sairam de ambulância, mas retornaram à pista), enfim, você tem que estar preparado e atento às reações do seu organismo durante toda a prova, cuidar da sua alimentação, e ao menor sinal, tomar uma providência imediata para não sofrer as consequências futuras. Eu sai de São Paulo com 67kg de peso e voltei com 67kg, resultado de todos os cuidados tomados e com a suplementação alimentar do nutricionista Mario Cunha.


Somente quando você completa a última volta em uma prova dessas é que você sente o real significado da frase: “A dor é passageira, desistir dura para sempre”. Completei as 24hs, percorri 127km (equivale a 3 maratonas), fiquei em 22o. lugar na classificação geral e subi ao podium em 5o. lugar por faixa etária (dá-lhe Equipe Tavares) !!!

Mais uma experiência e um grande aprendizado de corridas.

Comecei 2012 com 3 Ultras (aproximadamente 250KM), e agora vou me dedicar as Maratonas em busca do meu objetivo.

Até Porto Alegre !!!


©2012 ECTAVARES - Tel: 11 3231-2080/3159-8456/7722-0811 - Design Ciclo Graphics