Notícias

CORRE, GAROTO!!!
26/09/2008

Por Marcelo Jacoto

No último dia 14 de outubro foi realizada mais uma edição de uma das mais tradicionais corridas do calendário esportivo nacional: as “Dez Milhas Garoto”, uma prova de 16 km que percorre as principais ruas e avenidas do estado do Espírito Santo, com largada no município de Vitória e chegada em Vila Velha, na sede da fábrica de chocolates que dá nome à corrida. E é claro que a E.C. Tavares marcou a sua presença nesta festa!

Motivado a correr mais uma vez em ruas nunca dantes percorridas, viajei com meus pais e meus amigos Patrícia, Cláudio e Valter para o município de Vitória a fim de passar um final de semana, conquistar mais uma medalha e uma camiseta para a coleção, e (por que não?) comer muito chocolate! (risos)

Nosso grupo chegou à Vitória no sábado, dia de retirada do kit da prova. Vale a pena destacar que a “Dez Milhas Garoto” é uma das mais provas com preço de inscrição mais acessível, vez que, por apenas R$ 25,00 recebemos sacolinha, número de peito, camiseta Adidas, guia da prova, chip e convite para um jantar de massas. A grande frustração ficou por conta da loja da Garoto, já fechada para o público em plena tarde de sábado. Nosso grupo teve que se contentar com os quiosques dos shoppings locais para se esbaldar com uma grande diversidade de chocolates (no Espírito Santo há até mesmo sorvetes e picolés dos chocolates da marca, tais como Batom, Talento e Serenata de Amor). O jantar, realizado no refeitório da fábrica, contou com muita animação de empregados e corredores: havia música, muita macarronada com molho de frango, suco de tangerina, dois bombons e um sorvete de sobremesa. Os acompanhantes dos corredores também podiam participar pagando R$ 8,00 pelo convite individual. Como não era permitido repetir no “bandejão”, fiz questão de caprichar na minha porção de carboidratos de véspera de prova (risos).

Na manhã de domingo, nosso grupo se encaminhou ao calçadão da Praia de Camburi (local de concentração da prova) a tempo de conferir a largada dos cadeirantes, que ocorreu às 8h15 da manhã, com cobertura ao vivo da TV Gazeta (afiliada da Globo). Era possível estimar mais de 6 mil participantes na 19ª edição da corrida (sendo que a grande maioria era oriunda do Rio de Janeiro), isso sem contabilizar as crianças e adolescentes participantes da “7ª Corrida Garotada”, que largou às 7h45 daquele domingo contou com percursos de 1 e 3 km entre a Prainha de Vila Velha e a fábrica da Chocolates Garoto. A elite feminina largou às 8h45min, e a elite masculina e o “povão” começaram a correr às 9 hs., debaixo de um calor de quase 30° C. A prova foi transmitida na íntegra pela Globo local, com flashes no programa “Esporte Espetacular”.

O percurso de 16 km iniciou-se pela Praia de Camburi, passando ao lado da Praça dos Namorados, o shopping de Vitória, a Assembléia Legislativa e o cais de Vitória, até alcançar a parte mais difícil: a bela “Terceira Ponte”, principal ligação entre os municípios de Vitória e Vila Velha, com 3,3 km de extensão e mais de um 1 km de subida. A subida íngreme da ponte (agravada pelo estreitamento da pista) que marca o 4° km de prova é compensada pela extraordinária vista única proporcionada aos corredores. Sem dúvida, um dos mais belos percursos de nosso país!

A entrada no município de Vila Velha coincide com o início da segunda metade da prova e com a elevação da temperatura. O ar “abafado” fez com que alguns colegas corredores desmaiassem ou passassem mal, não obstante o excelente abastecimento da organização na hidratação. Nos metros finais encontra-se uma arquibancada e muita torcida de familiares, amigos e moradores locais, transformando a corrida em uma festa. O kit pós-prova também foi satisfatório, sendo que as únicas sugestões à organização são: antecipação do horário de largada e maior cuidado com o tapete da chegada, que motivou o tombo de muitos corredores exaustos e/ou empolgados. Os grandes campeões de 2.008 foram: Willian Gomes Amorim (com 48 minutos e 35 segundos), seguido do queniano Charles Kipngetich Korir e o brasileiro Luis Paulo da Silva Antunes. No feminino, as quenianas Nancy Jepkosgei Kipron (56 minutos e 21 segundos) e Eunice Jepkirui Kirwa não deram chances à Marily dos Santos (4ª), Pretinha (5ª) e Marizete Rezende (7ª).

Após a prova, eu e meus colegas tomamos um táxi de volta para Vitória e fomos comemorar mais uma prova concluída ao sabor de uma legítima moqueca capixaba. O domingo se encerrou com um passeio no Parque “Pedra da Cebola”, que, como o próprio nome diz, possui uma pedra na forma de uma cebola. Ainda no aeroporto, um inesperado temporal atrasou o nosso vôo de retorno a São Paulo, aglomerando muitas pessoas na sala de embarque, tais como as meninas das seleções de futsal feminino da China e do Irã, que estiveram em Vitória na mesma semana para jogar o 1° campeonato mundial feminino da categoria, e que aceitaram fazer uma pose para o nosso site. Sem dúvida, um inusitado encerramento de domingo!


©2012 ECTAVARES - Tel: 11 3231-2080/3159-8456/7722-0811 - Design Ciclo Graphics