Notícias

Maratona de Toronto
07/10/2007

Por Marcos Sanches

Uma semana antes da prova a previsao do tempo jah mostrava que ia fazer carlor durante a STWM (Scotiabanc Toronto Waterfront Marathon). E a partir dai fiquei tranquilo, mesmo se o homem do tempo nao estivesse certo, provavelmente muito frio nao ia fazer, que era o que eu tinha medo. Esta eh uma das duas maratonas que acontecem em Toronto, a mais nova, mas tambem a mais famosa. Ela tem fins beneficientes e hah um esforco muito grande para a cada ano arrecadar mais fundos do que no ano anterior. Neste ano foram arrecadados em torno de 700 mil dolares. A Maratona de Toronto acontece duas semanas depois, e ao contrario dessa, que tem o percurso margeando sempre o lago, aquela crta a cidade de Norte a Sul.

A minha decisao pela STWM foi um pouco pelo medo do frio, quanto mais cedo, mais chance de nao estar muito frio. Foi tambem pelo fato de ser uma prova beneficiente, a minha grana parecia que nao ia encher o bolso de ninguem. A Maratona de Toronto perdeu um ponto por ter diferenca de altitude entre a chegada e largada, imaginei que se eventualmente eu obtivesse um recorde pessoal, ele ia ficar estranho, eu nao ia querer considerar, pois tinha mais descida do que subida. A terceira opcao seria a Maratona das Cataratas do Niagara, que logo ficou fora porque a logistica pra mim seria dificil, teria que pegar o kit no sabado e correr no domingo, embos a 2h de carro de onde eu moro. Nao teria muito jeito a nao ser ir para lah no sabado e ficar num hotel. Eh no final de Outubro, bastante chance de estar bem frio. Desisti.

No sabado vespera da prova eu tracei a estrategia para chegar ao local da largada as 6h da manha. De metro seria super facil, mas o metro soh comeca a funcionar as 9h nos domingo. Mas Toronto tem um esuqema de onibus que roda durante a madrugada, era a unica alternativa.Embora os onibus nao passem toda hora, eles formam uma malha que cobre toda a cidade, sendo dificil vc morar em algum lugar que nao passe onibus de madrugada por perto. E vc nao soh sabe por onde ele passa facilmente, vc sabe que horas ele passa. Para chegar na largada eu podia escolher entre dois caminhos, ambos pegando 3 onibus. Vendo a plinilha dos horarios dele, notei que eu tinha que sair de casa 4h45m para chegar no ponto em frente ao predio e pegar um que deveria passar por volta das 4h55m. E ele passou. Commais dois onibus, o ultimo jah lotado de gente, mas poucos corredores, eu cheguei a 2 quadras da largada, meia hora antes do planejado, isto eh, 5h30m.


Nao havia muitos corredores ainda, mas jah tinha um movimento. A temperatura devia estar por volta dos 14 graus, um pouco frio, eu resolvi me manter agasalhado ateh ter que deixar a mochila no guarda volumes (que me custou dois dolares, que segundo a org ia para nao sei qual instituicao). Me sentei numa escada que tinha por al, ao ar livre e fiquei observando o movimento, pensando na minha situacao, em uma maratona tao longe de casa, totalmente sozinho. O mundo dah tantas voltas... aproveitei para tirar o tenis, desejar boa sorte para os pes, colocar um pocuo mais de esparadrapo, passar um pocuo de vaselina, tirar os agasalhos. O horario da largada foi chegando e faltando 20 minutos eu fui guardar a mochila. Indo para a largada observei que a fila do banheiro quimico era enorme! Tinha poucos banheiros quimicos! Mas parece que a galera tah acostumada, sei lah, nao vi ninguem xingando. Mas eu cai fora e fui pra largada. Assim como algumas provas no Brasil, existem as baias para cada ritmo. Mas pelo que vi eh igual no Brasil, ou seja, se vc larga lah tras jah era, vai perder tempo com a galera lenta na frente. Mas os canadenses nao sao iguais os brasileiros, eles parecem que respeitam mais as placas dos ritmos, e ano sao desesperados. Eu consegui chegar na linha de frente da minha baia, e 5 minutos antes da largada retiraram a grade que separava uma baia da outra. O territorio no minha frente ficou praticamente livre! Eu andei bastante e cheguei bastante perto da largada para opadrao que a gente ve no Brasil. Jah tava feliz!

Ateh entao eu pouco tinha pensado na prova, estava bastante tranquilo. Mas apesar disso tinha uma estrategia, sempre a mesma, sair em ritmo de recorde pessoal e ver o que acontece. Eu mais observava os outros corredores do que pensava na minha prova. E os canadenses nao sao assim diferentes da gente, usam mais aquelas roupas apertadas e tal, mas fora isso... O que tem bastante aqui sao os caminhantes. A maratona tem oficialmente a categoria de caminhante, e eles tem 7h para terminar. E pelo visto tem bastante, e em quase todas as corridas, o Paulo ia gostar.

Quando foi dada a largada eu nao estava longe da faixa, demorei 30 segundos para passa-la, e mesmo assim estava com bastante espaco em volta. e eu poderia ateh ir mais pra frente tranquilamente, mesmo tendo muuuuuuuita gente atras, muita mesmo, quade todo mundo. E quando foi dada a largada eu sai num ritmo confortavel, correndo pelas largas ruas do centro de Toronto, cercado de muitos predios e tendo do lado direito a "CN Tower". Jah ouvi falar que eh uma das construcoes mais altas do mundo, mas nao parece assim tao alta, sei lah. E foi correndo ali sobre os trilhos dos "streetcar", com o dia ainda escuro e temperatura de 14 graus segundo o locutor, que eu comecei a maratona mais rapida que jah corri. Mas eh interessante porque em dias que a temperatura tah 20 graus e parece 14, mas neste dia era o oposto, a temperatura parecia seguramente maior que 14 graus.

Segui a multidao de corredores, mais tentando sentir o prazer de estar participando do que pensando na maratona e cuidando do ritmo. Em Totonto parece que as mulheres estao muito mais presentes nas corridas do que no Brasil, e sao rapidas. Muito rapidas. Muitas meninas por ali, mas eu sabia que muita gente ali correria a meia maratona, nem todos iriam para a maratona. E o meu ritmo tambem estava muito bom, passei o Km 1 em 4m36s e o Km 2 em 9m14. Eu sabia que o ritmo tava forte, mas nao queria me procupar com isso entao, queria correr. Logo entramos na "Lakeshore", uma avenida bem larga, e rumamos para o Oeste, rumo ao High Park, o primeiro parque que visitei por aqui. Eu jah conhecia bem o caminho que viria ateh o High Park dos treinos que fiz na ciclovia, a diferenca era que ali eu estava no meio da grande avenida onde antes passavam milhares de carros.

Por volta do Km 3 houve o primeiro posto de hidratacao. Era o maior barulho no posto de hidratacao porque os staffs ficavam gritando "agua, agua, agua, gatorade, gatorade, gatorade...", de acordo com o que eles tinham na mao. Logo aprendi que sempre viria o gatorade primeiro, depois a agua, mas tudo como se fosse em um posto soh, longo, aqui no comeco um monte de mesas dos dois lados com gatorade e mais pra frente comecava o gatorade. Ambos eram servidos naqueles copinhos de gatorade, o que era muito ruim porque se vc nao diminuisse o ritmo para tomar, se molhava tudo. E nao eh muito agradavel tomar banho de gatorade, alem doque ateh a metade da prova, a temperatura estava baixa...

E os corredores tinha cada um o seu nome impresso no numero, grande, o que fazia com que quem estivesse de fora pudesse saber o nome da galera que passava. Isso foi muito interessante porque havia muita gente ao longo do percurso e eles gritavam o nome da gente. Os proprios staffs nos postos de hidratacao gritavam. "Vamos lah Marcos, vamos lah, muito bom!" Eu tentava agradecer e tal, mas era muito legal. E foi assim na prova toda, principalmente na parte final onde os corredores passavam mais isolados. Tambem havia em varios pontos do percurso bandas e musica para animar a galera, muito legal.

Veio a primeira subida da prova, era uma subida muito suave, mas que levava os corredores do nivel dolago ateh o nivel de quem tah em cima de um elevado. Ao meu lado corria um casal, ele fazia meia maratona, ela a maratona inteira, como eles dizem aqui. O sujeito tinha visto a foto dela em algum site de treinamento na internet e por coincidencia encontrado ela na maratona. E puxou um papo. Quando vi a garota correndo facil e conversando como se estivesse sentada numa mesa, com aquele cabelo meio claro, shorts e top, eu lembrei da Paty. Eh, ela parecia a Paty. A ultima maratona dela tinha sido em 1999, para 3h23 minutos e agora ela ia tentar um sub 3h20 minutos. Ele, grandao, correndo do lado dela e conversando, achava que ia dar para ir com ela ateh a metade, quando sua prova terminaria e a dela continuaria. E foi naquela subidinha que os dois conversando animadamente me deixaram para tras. Ela corria muito bem, e nao cansava de relatar os feitos para o mais novo admirador. Sub 3h20m? O meu ritmo jah tava para sub 3h20m e eles me deixaram para tras. 7 anos sem correr maratona. Nao pode ser, essa menina vai estar quebrada lah na frente.

Outros corredores seguiam o seu ritmo e ali, jah por volta do Km 4, ainda a aglomeracao era grande, eu corria com muita gente ao meu redor e com o dia ainda nao totalmente claro. Eu lembrei dos meus primeiros dias aqui quando a 7 da manha o sol jah tinha nascido. Passei o Km 5 com 23m20s e segui naquele ritmo que estava confortavel, praticamente ignorando que eu estava numa maratona. Se fosse para quebrar no Km20, tudo bem, eu realmenet nao tava me importando com isso, e nao me esforcava nem um pouco para manter qualquer ritmo, comrria como eu achava gostoso naquela hora, soh segurando para nao disparar, eu obviamente nao colocaria um ritmo que me obrigasse a parar no Km 10 ou 15...Km 6, 7, 8, passaram rapido e cheguei no Km 10 com 46m44s, era um tempo sensacional para uma maratona, eu nao podia deixar de notar isso, soh restava saber se o tempo do Km 30, 35, tambem seria sensacional.

No Km 11 haviamos passado do High Park e fizemos um U, voltando para Leste. Parecia a mara de Floripa, um vai e volta sem fim, eu sabia que seria assim. Passsei o 11 na casa dos 51 e o 12 na casa dos 56, o 13 por volta de 1h01, o 15 em 1h10m. O lago agora domeu lado direito, as vezes eu conseguia ve-lo bem e outras vezes as arvores do jardim que tem entre mim e o lago nao deixam ver direito a agua. Agora, mais perto da ciclovia eu comecava a relembrar alguns momentos dos treinos que havia feito por ali.

Em todos os postos de agua, que estavam a cada 3 Km, eu tomava agua ou gatorade. No comeco eu comecei tomando gatorade, mas ficou meio enjoativo, e aqui tambem tem uns gatorades muito ruins, entao eu passei a tomar agua nos postos. Mas nunca tomava muito, e na verdade eu tambem aprendi cedo que o copinho era grande, mas nunca vinha nem pela metade. Se eu quisesse agua para jogar na cabeca, teria que pegar mais de um copo. Por volta do Km 19 fomos separados da galera da meia maratona. Eu entrei para a direita com uns opucos corredores enquanto que a maioria ia para a direita. Havia cerca de 2100 participantes na maratona e 5300 na meia. Eu vi todo mundo indo pro lado de lah e eu fiquei sozinho, apenaas sentindo um corredor na minha cola e vendo outro lah na frente.

Saimos da grande avenida e agora eu corria na propria rua onde eu treinara, eu conhecia bem ali. Logo o Km 21 e enquanto eu completava a primeira metade da prova em 1h39m, tantos estavam chegando, completando a sua meia maratona. Sera que eu nao devia ter escolhido a meia maratona? Se tivesse terminado naquele tempo, chegaria mais ou menos entre os 6% mais rapidos, Na maratona depois fiquei entre os 15%.

Eu conhecia o que tinha pela frente, ali depois do Km 21, Nao era nada dificil, mas era chao, bastante chao para percorrer. E entao eu jah nao estava me sentindo o mesmo. O sol, embora muito cedo, jah tinha elevadoa temperatura e eu jah comecava a jogar agua na cabeca. E foi ali, pouco depois da metade, que eu tambem tomei meu primeiro gel. Embora o ritmo ainda estivesse muito bom, eu jah nao me sentia o mesmo, jah nao tinha tanto prazer em correr, jah sofria um pocuo para manter o ritmo. Talvez fosse hora de ter uma estrategia, de pensar em algo, de parar de correr por correr. Mas ali, no meio da corrida, parecia nao haver tantas opcoes de estrategia, ou eu tentava segurar mais o ritmo, na ocnfianca de conseguir ir longe, de que o gel me revitalizasse, ou eu diminuia para ser mais conservador e tentar garantir um bom tempo, ainda que nao fosse otimo. Mas enquanto o otimo eh possivel, porque vou desistir dele? Era a estrategia do Eber, que nao disiste nunca. E eu segui segurando o ritmo forte.

Dali em diante, segurar o ritmo nunca mais foi algo facil, inconsciente. Eu gastava energia e jah aproveitava bemmenos o prazer de correr. O ritmo tambem nao foi mais constante, havia Kms um pouco mais rapidos e outros um pocuo mais lentos. Por volta do Km 25 apareceu um posto de gel, o que me animou pois soh me restavam dois gels no bone e eu tinha medo que fossem pouco. Agora com aquele extra que eu ganhara, eu podia ficar tranquilo. Tomei ele no Km 26 mais ou menos e ai eu tinha mais dois que poderia tomar no 32 e 37, ou por ai, e tinha que ser suficiente. foi por ali tambem que o marcador de ritmo das 3h20m chegou em mim e foi no Km 27 que ele me passou. Inicialmente eu comecei a ouvir uma galerona atras de mim, e fiquei imaginando o que seria. A galera foi se aproximando, aquele monte de barulho de passos cada vez mais perto, ateh que sinto eles muito perto e passo para o outro lado da pista, onde alguns gatos pingados voltam jah, para dar caminho para aquele povo. Entao e soh entao notei que era o marcador de ritmo pois ele tinha um chapeu esquisito. Pensei um pouco e conclui que soh podia ser o marcador das 3h20m. Se eu seguisse ele, terminaria nesse tempo, seria demais. E foi o que tentei fazer, como se o ritmo jah nao tivesse meio complicado.

E fui ali junto deles, incentivado pela quantidade de corredores que iam junto. Era um grupo de uns 30 corredores ou mais, todos muito juntos. Eu fui com eles ateh lah pelo 30 quando me toquei que era besteira, o ritmo definitivamente era forte para mim, se pelo menos estivessemos no 37 ou 38, mas ali, era muito forte. Eles foram se distanciando devagar e eu fui ficando para tras, sozinho. A corrida derrepente ficou estranha, porque os corredores eram muito esparsos, nao tinha ninguem mais ali por perto de mim, soh o grupo lah na frente, parece que eu estava ficando isolado, perdido lah tras. Eu pensei um pouco. Nao, claro que nao, eu estava rodando bem, um gato pingado passou do outro lado, uns 2 Km atras de mim, tinha muita gente para tras.

Uma novidade da mara, comparando com as outras que eu corri, eram os varios pontos de cronometragem no meio da prova. Havia um no 10, um no 12 (ali era um retorno, o tapete evitava que a galera cortasse caminho), um no 21, outro no 27/28 - esse tah com problema, o tempo nao bate, era num retorno - outro no 30 e outro no 33.7 (esse tambem um retorno). Entao alem do tempo total da prova ainda temos mais 6 splits. Legal para quem nao tem cronometro que marca cada Km como eh o meu caso. O ritmo foi de 4:40 ateh o Km 12.2, onde passei com 56:55. Daih ao 21.1, o ritmo caiu para 4:45 e da meia ao Km 30 o ritmo medio caiu mais, para 4:52. Do 30 ao 33.7 ele subiu um pouco para 4:49. Depois do Km 30 o percurso voltou a ser bem conhecido, era uma avenida larga e comprida. E eu passei o 30 na casa das 2h22, era correr mais 12Km em 1h e eu tava com um recorde pessoal garantido! Isso me animou bastante e nao foi so ateh o 33.7 que o ritmo ficou melhor, devo ter ido num ritmo mais ou menos bom ateh lah pelo 36. Pouco depois do Km 34 eu encontrei a menina lah do comeco que ia terminar sub 3h20. Caminhando. Passei sem fazer esforco. Uma outra garota me acompanhou durante a prova toda, e estava correndo comigo eli pelo 35. Ela as vezes sumia lah ne frente e quando eu nem lembrava mais dela, eu alcancava ela num posto de agua. Aconteceu varias vezes, parece que ela parava em alguns postos. Terminou um pouco na minha frente...

No Km 33.7 havia um retorno, que era o ultimo, agora era rumar direto para o centro da cidade onde estava a chegada. Nao estava perto, uns 8 Km ainda, mas o fato de eu saber que ia rumo a chegada parece que psicologicamente era bom. Veja bem, quando eu tava no Km 30, a sensacao nao era assim boa porque eu tava me distanciando da chegada, eu tava indo para leste quando se eu quisesse ir pra chegada teria que fazer meia volta e ir para Oeste. Claro que sempre estamos nos aproximando da chegada, mas quando vc pensa que tem que ir lah na pqp para depois voltar, nao pode simplesmente passar para o outro lado da pista, entao o psicologico parece que pede para dar um tempo.

Por volta do Km 39 foi quando o bicho comecou a pegar de verdade, as pernas nao queriam ir, eu mal sentia elas. Mas Km 40, 41 e 42, tao perto, lembrei do Ibira. Era soh dar tres voltas na pista de cooper, menos que isso. Melhor nao pensar no numero de voltas na pista de atletismo, eram varias ainda. Mas nao dava pra parar, o tempo lah do Km 30, e depois do 32 na casa das 2h32m, me fez desejar muito o recorde pessoal. Eu nem olhava mais para o cronometro, soh tentava segurar a velocidade. E ali depois do 39 cada passo era um grande esforco, manter a velocidade era um grande sofrimento. E eu nao consegui manter, ciau muito. O ritmo entre o 34 e o 42 caiu para menos de 5min/km. Mas nao tao menos, as vezes eu pegava um embalo, tentava soltar as pernas, e o negocio ia funcionando, eu estava cada vez mais perto do final. Faltando uns 500 metros veio uma subidinha de uns 100m, curta mas era uma subida, a mais ingreme da prova. Nao que fosse uma ladeira, mas naquela hora pra mim parecia, o ritmo caiu absurdamente na subidinha, por mais que eu jah conhecesse o local e soubesse que era soh manter um pouquinho, a subidinha acabaria e depois seriam uns 400m planos ateh o final.

Bom, aconteceu o que aconteceu, o ritmo caiu, mas nao o suficiente. Eu cruzei a linha com 3:23:42, quase 3 minutos mais rapido do que na maratona mais rapida que eu tinha feito ateh entao, em Floripa. Demais! Nao sei se era muito tirar 3 minutos em 42 Km, mas era o suficiente para mim. E com essa marca, mesmo o 3:20 que sempre pareceu tao longe comeca a parecer possivel.

Nao parei, continuei caminhando apos a chegada, procurando algo para tomar. Logo cheguei na galera que tava entregando as medalhas, e mais na frente as mesas com garrafinhas de agua. Parei, peguei uma, olhei para tras, havia valido a pena! Mas eu tava cansado, bastante cansado. Ganhei tambem um papel laminado enorme, era um negocio que alguns estavam enrolando em volta do corpo. Logo ficou evidente que era um tiop de cobertor, para manter a temperatura. Mas nao tava frio, eu dei uma dobrada nele e levei comigo. Mais para frente muitas mesas da gatorade, de todo tipo. Totalmente ali para qualquer um pegar o quanto quisesse. O problema eh que eu ainda nao sei qual eh o bom, nao tem muitos bons, eles tem um gosto bem ruim. Tem um que eh mais doce, melhor, eu jah percebi. Mas enfim, tomei uns dois copinhos e continuei caminhando com certa dificuldade comum depois de uma maratona. As pernas estavvam muito cansadas. Mais a frente uns bancos e uma galera tirando chip. Havia uma caixa lotada de chip em cima de um dos bancos, e ninguem por ali. Eu tirei o meu e joguei na caixa. Imagine, no Brasil eles ficam de olho no seu chip, se vc nao devolve nao ganha nada e eh multado. Ali ninguem se preocupava se vc devolveu ou nao, e ninguem se preocupava se quer com a caixa cheia de chips que tava lah abandonada... Mas as regras nao sao diferentes, se vc nao devolver, pode devolver depois pelo correio, ou levar nao sei onde, mas se nao devolver mesmo tem lah no regulamento que vc paga uma multa.

Bom, jah sem chip eu continuei caminhando, seguindo o fluxo. Mais na frente muitas mesas com macas e bananas e muitas cestas com biscoitos. Aqui eles tem depois das corridas uma rosquinha que eles chamam de "bagel". Eu nao sei se existe isso no Brasil. Eh muito comum depois das corridas, tem de monte. Mas nao eh nada demais, eh um pao comum, que alias eh ruim de comer se vc nao tiver algo para beber pois eh meio seco. Mas ali na hora caiu muito bem, eu ainda tinha uma garrafina de agua e peguei varios biscoitos e essas roscas. Depois de pegar a mochila, sentei num degrau de uma escada e terminei de comer. Nao fiquei muito por ali, voltei para o metro, seguindo por onde o pessoal tava chegando, vez ou outra incentivei um ou outro, mas nem pra isso eu tinha muito animo, estava bastante cansado e louco para voltar para casa, tomar um banho e descansar.

Segunda ateh quarta as pernas ainda doiam, na quinta eu jah estava bem, hoje, sabado, eu corri 43 minutos, entre 8 e 9 Km, e senti bastante o cansaco da prova. Agora eh se recuperar devagar e ver como estah o meu tempo nos 10Km, ver se ainda vou conseguir treinar na pista por muito tempo, estah cada vez mais frio, hoje no treino notei que as arvores surpreendentemente estao diferentes, algumas estao sem folhas e outras estao perdendo. O chao em muitos lugares estah cheio de folhas. A coloracao das folhas secando, acho que eh meio avermelhado, torna tudo muito bonito, interessante. Mas foi tambem muito derrepente... Eh o outono que o pessoal tanto fala, e que eu acabei de peassar por ela no Brasil, mas aqui com outras cores, mais marcante...

Abracos a todos!


©2012 ECTAVARES - Tel: 11 3231-2080/3159-8456/7722-0811 - Design Ciclo Graphics